Menu

Brasil Redes

Estão propondo votos e Sacrifícios em dinheiro para obtenção da plenitude do Espírito Santo

Relacionar dinheiro com o recebimento do Dom do Espírito Santo faz lembrar a tentativa absurda de Simão, o Mágico, registrada em Atos 8.18-23, que diz: "Quando Simão viu que pela imposição das mãos dos apóstolos se dava o Espírito, ofereceu-lhes dinheiro, dizendo: Dai-me também este poder, que aquele sobre quem eu impuser as mãos, receba o Espírito Santo. Mas Pedro disse-lhe: Pereça contigo o teu dinheiro, pois julgaste adquirir por meio dele o dom de Deus. Tu não tens parte, nem sorte neste ministério; porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, portanto, desta tua maldade, e roga ao Senhor que, se é possível, te seja perdoado esse pensamento do teu coração;pois vejo que estás em um fel de amargura e nos laços de iniqüidade".
Somente este texto seria suficiente como advertência contra este erro, mas a Bíblia tem muito mais a dizer a respeito: “o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender é melhor do que a gordura de carneiros” (1 Samuel 15.22). Diz também que “sacrifício e oferta não quiseste...holocausto e expiação pelos pecados não reclamaste...deleito-me em fazer a sua vontade” (Salmo 40, versos de 6 a8). É pela graça que somos salvos e é pelo intermédio da fé e não das obras (Ef 1.8). Deus é um Deus de Graça e não de barganha conforme o Apóstolo Paulo ensina em Romanos 11:33-36: "Ò profundidade da riqueza, tanto da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi seu o conselheiro? Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas."
Recomendo a leitura e o exame cuidadoso do que Paulo escreve aos Gálatas no capítulo 3. Destaco alguns versículos que são bastante contundentes: "Gostaria de saber apenas uma coisa: foi pela prática da lei que vocês receberam o Espírito, ou pela fé naquilo que ouviram? Será que vocês são tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, querem agora se aperfeiçoar pelo esforço próprio?" (Gl 3.2-3); E "Isso para que em Cristo Jesus a bênção de Abraão chegasse também aos gentios, para que recebêssemos a promessa do Espírito mediante a fé" (v. 14). A Tito, Paulo também escreve dizendo que a salvação e a plenitude do Espírito Santo são dádivas da graça divina e não produto do esforço e sacrifício humano: "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador" (Tito 3.5-6).
Portanto, a prática de fazer votos e sacrifícios para adquirir bênçãos não é cristã e nem muito menos protestante. Não podemos esquecer o protestantismo surgiu como uma forte reação de Lutero contra a prática católica da cobrança de valores monetários para a liberação do perdão e das bênçãos divinas. É totalmente anticristã a idéia de que sacrifícios e votos envolvendo dinheiro são necessários para obtenção da plenitude do Espírito Santo e de qualquer outra bênção divina. Os que promovem este tipo de barganha com Deus são pessoas má intencionadas que ignoram e deturpam as Escrituras Sagradas para enganar o povo a fim de enriquecer os cofres de suas igrejas. Como Pedro bem advertiu: "E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita" (2 Pe 2.3). Não devemos condicionar a ministração das bênçãos divinas a qualquer espécie de oferta, como Jesus ordenou: "Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai" (Mateus 10:8). De modo que, pastores que desobedecem a este mandamento do Senhor não são servor de Cristo.

Lembremos como a comercialização do sagrado irritou profundamente a Jesus que  "entrou no templo e expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo. Derrubou as mesas dos cambistas eas cadeiras dos que vendiam pombas. e lhes disse: "Está escrito: ‘A minha casa será chamada casa de oração’; mas vocês estão fazendo dela um ‘covil de ladrões’" (Mateus 21:12-13).
As bênçãos de Deus são gratuitas. São produtos do sacrifício de Jesus e não dos homens. Não há como fazer por merecê-las. Qualquer tentativa neste sentido é um atentado ao Sacrifício de Cristo na Cruz. "Quem primeiro deu a ele para depois receber?" (Romanos 11.35). "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo" (Efésios 1.3). "Nós o amamos porque primeiramente Ele nos amou!" (1Jo 4.19). Que todas as nossas ofertas e sacrifícios sejam produto de gratidão e amor!
Escrevo isto com muito amor e carinho numa tentativa de alertar os fiéis para o perigo que estão correndo. Deus conceda pleno entendimento da Verdade.
Em amor,

Bispo Ildo Mello


 


WHC Board Meeting
Thursday, October 25, 2018
6:00pm-8:30pm
University Plaza Hotel
Springfield, MO

Steering Committee Meeting
Friday, October 26, 2018
Assemblies of God Nat'l HQ
Springfield, MO

Common Ground Meeting
Monday, October 29, 2018
Life Pacific University
San Dimas, CA

Complete Events Calender
Click here

Logo_e_Tema_Coracao_Aquecido

encontro_do_Rio

frater

DSC00218_Large

Primeiro Encontro em São Paulo

fraternidade_wesleyana_de_santificacao_2_de_set

brasilia_fraternidade

Go to top